Share, , Google Plus, Pinterest,

Print

Posted in:

Vendeta

de Coralie Fargeat

bom

Entre o conto moral e a história directa e sangrenta de uma vingança, Coralie Fargeat estreia-se nas longas-metragens sob inspiração de Tarantino.

 

Vendeta (no original: Revenge) é a primeira longa-metragem da realizadora e argumentista Coralie Fargeat, depois de duas curtas-metragens e um trabalho para a televisão francesa no curriculum.

Talvez devido ao seu conteúdo, digamos «extremo», Vendeta, que foi apresentado no Festival de Toronto em 2017, passou rapidamente ao circuito VOD (video on demand), tendo tido uma pequena carreira nos cinemas. Não obstante (ou talvez por isso mesmo) o filme chega agora a Portugal com alguma aura de jóia perdida, segredo ao alcance de apenas alguns. Justifica-o?

Sem que o título nos tente enganar, Vendeta é isso mesmo, um filme clássico de vingança, onde o sangue e a violência gráfica (sem pedir por favor para nos dar um bom body horror) são a nota dominante.

Espécie de exploitation de nota feminista, Vendeta apresenta-nos duas partes distintas. A primeira, que nos dá a motivação da história, faz uso da beleza física de Matilda Lutz (talvez mais conhecida como modelo que como actriz), filmada como eye candy, talvez para nos fazer cúmplices voyeurísticos do mal que está para vir. E ele chega para depois, quase sem aviso, primeiro em laivos de home invasion, «explodir» numa perseguição e vingança sem quartel, limites de dor ou litros de sangue a medir.

Inspirando-se nos devaneios mais soltos de Tarantino de uma pin-up tornada mulher de armas, Vendeta não quer fazer pensar, nem sequer fazer muito sentido, quer apenas prender o espectador num festival de acção, sem descurar um estilo visual muito próprio, numa narrativa quase sem palavras, onde é essa mesma acção que define os pontos do percurso.

Desengane-se quem procura algo mais intelectual, embora haja a piscadela de olhos à temática da violência sobre as mulheres, e algo de lição moral, afinal Jennifer (Lutz) é amante de um homem casado (Kevin Janssens), o qual pavoneia o dinheiro à frente dela e dos amigos, numa caçada – aparentemente ilegal – num local remoto para onde vão de helicóptero. Mas o que fica é apenas o conto de vingança e justiça pelas próprias mãos, mostrando que mesmo o lado «mais fraco» tem forças.

Quem quer um filme directo, sem grandes artifícios, onde a acção pura e dura é também suja e dolorosa, Vendeta não decepcionará.

Review overview

Summary

Definindo-se pela acção e não pelas palavras, Vendeta é uma história de vingança no feminino, directa, suja e às vezes horripilante, que parece citar Quentin Tarantino.

Ratings in depth

  • Argumento
  • Interpretação
  • Produção
  • Realização
3 10 bom

Comentários

Share, , Google Plus, Pinterest,