• Segundo Take - podcast de António Araújo

    Posted in:

    Episódio #132 – Goodnight Mommy (2014) / The Invitation (2015) – Novos nomes do terror

    Está disponível o episódio #132 do podcast Segundo Take. Podem ouvi-lo na barra lateral deste artigo, em www.take.com.pt, subscrever no iTunes ou no leitor no final deste texto. Neste episódio vamos novamente à procura de novos nomes do terror com uma proposta austríaca realizada em 2014 pela dupla Severin Fiala e Veronika Franz, Goodnight Mommy, e o filme independente norte-americano […]

    Read more

  • mãe!

    Posted in:

    mãe!

    Tal como o ponto de exclamação no final do seu título, Mãe! quer provocar, indignar, mostrar um forte objectivo. Darren Aronofsky é conhecido pela diferença e por querer sempre mostrar um lado mais metafórico e surreal dos temas, e este seu novo filme não é excepção. Mas Mãe!, claramente inspirado pelo estado do mundo actual, acaba na maioria das vezes […]

    Read more

  • Segundo Take - podcast de António Araújo

    Posted in:

    Episódio #101 – mãe! (2017) / O Anjo Exterminador (1962)

    Está disponível o episódio #101 do podcast Segundo Take. Podem ouvi-lo na barra lateral deste artigo, em www.take.com.pt, subscrever no iTunes ou no leitor no final deste texto. Neste episódio visitamos mãe!, o divisivo filme de Darren Aronofsky, o realizador de A Vida não é um Sonho e Cisne Negro, uma alegoria disfarçada de filme de  terror psicológico com […]

    Read more

  • Posted in:

    mãe!

    Darren Aronofsky em modo de contrição pessoal num filme ambicioso que constrói diferentes camadas de alegoria sob um manto de terror psicológico que promete dividir opiniões.   Darren Aronofsky é um dos mais interessantes realizadores norte-americanos da actualidade. Depois da estreia, em 1998, com um filme de baixo orçamento recheado de ideias visuais e temáticas […]

    Read more

  • Posted in:

    mãe!

    Vendido como thriller sobrenatural, mãe! é mais uma página do obsessivo mundo alegórico-transcendente de Darren Aronofsky, assim como que um Cisne Negro ainda mais intenso e surreal.

    Read more