Share, , Google Plus, Pinterest,

Print

Posted in:

Os Traficantes

de Todd Phillips

mediano

Sabem aqueles filmes que querem mesmo mesmo dizer bem, mas vêm-se obrigados a dar uma nega!? Bem, Os Traficantes é um desses filmes. É daqueles que nos deixa um sabor agridoce na boca, cujos ingredientes tinham tudo para dar certo, mas seguem um caminho completamente errado. Um filme sem qualquer identidade própria.

 

Baseado num artigo da revista Rolling Stone (que posteriormente deu origem ao livro “Arms and The Dudes”, escrito pelo mesmo responsável pelo artigo, o jornalista Guy Lawson), Os Traficantes é a comédia biográfica onde seguimos a história de David Packouz (Miles Teller) e Efraim Diveroli (Jonah Hill), dois jovens traficantes de armas que conseguem um contrato com o governo americano, de forma a fornecer armas ao exército americano no Afeganistão. Dinheiro fácil, perigo, ganância ou poder, são tudo temas que podemos ver aqui explorados, mas nunca suficientemente bem. Convém também lembrar, que apesar de se basear numa história verídica, a maior parte dos eventos que vemos no filme, são dramatizados ou nunca chegaram a acontecer na realidade.

Aqui percebemos que Todd Phillips (mais conhecido por ter realizado a trilogia Ressaca) é um grande admirador de Martin Scorsese, pois não só se deixou inspirar pelo seu trabalho, como fez literalmente uma cópia do trabalho desse génio do cinema. Desde o estilo visual, à narração do personagem principal ao longo da história, aos semelhantes planos em camera lenta, à banda sonora contemporânea, tudo transmite uma identidade pouco própria que nada faz enaltecer as performances dos dois bons actores do elenco. Jonah Hill e Miles Teller têm definitivamente boa química entre si, mas as falhas no enredo, a quantidade de clichés tornam este filme em algo comum, quando afinal a sua história verídica é realmente interessante pelas mais variadas razões. Mas é curioso como mesmo assim, ficamos colados ao ecrã, talvez mais pelas prestações dos actores do que por qualquer outra coisa mais.

No entanto, a sua energia e estilo (quer seja inspirado no trabalho de outros realizadores ou não) cai por terra quando a inconsistência dos seus factos e a falta de originalidade não o destaca. Os Traficantes, é na verdade, mais uma versão aproximada de The Wolf of Wall Street. Apenas muda o tema e as personagens.

Resumo da crítica

Summary

Classificação

  • Argumento
  • Interpretação
  • Produção
  • Realização
2.5 10 mediano

Comentários

Share, , Google Plus, Pinterest,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *