Share, , Google Plus, Pinterest,

Print

Posted in:

[MOTEL/X 2017] A Máscara da Morte Vermelha

de Roger Corman

Very good

Aproveitando a passagem pelo MOTELX, Roger Corman apresentou-nos pessoalmente uma das suas adaptações de Edgar Allan Poe exibida em reposição no festival: A Máscara da Morte Vermelha.

 

Em 1964, Roger Corman realizou o sétimo, e penúltimo, filme de uma série de adaptações da obra literária de Edgar Allan Poe. Novamente com Vincent Price no principal papel — o actor apenas não participaria num destes títulos —, A Máscara da Morte Vermelha adapta o conto The Masque of the Red Death publicado em Maio de 1842, integrando também na narrativa elementos do conto Hop-Frog de Março de 1849. Com um argumento originalmente escrito por Charles Beaumont, este foi um dos primeiros títulos planeados depois do sucesso de A Queda da Casa de Usher em 1960, mas foi sendo adiado até ser concretizado em Inglaterra numa parceria da AIP com a produtora Anglo-Amalgamated. Por questões de saúde de Beaumont, foi R. Wright Campbell quem viajou até ao outro lado do Atlântico para ajudar a finalizar o argumento baseado, segundo a opinião do próprio Corman, num dos melhores contos de Poe.

Na Itália medieval, o príncipe Prospero — que se virá a revelar ser um satanista — visita uma aldeia sobre a qual exerce controlo para cobrar impostos e fica furioso diante dos apelos de dois pobres e famintos locais, Gino e Lodovico. Prospero condena-os à morte, mas a filha de Lodovico, Francesca, implora pelas vidas do pai e do noivo. Prospero descobre que uma idosa da aldeia encontrou uma figura misteriosa, vestida de vermelho, e está infectada com uma praga mortal, a morte vermelha. Em pânico, ordena que a aldeia seja queimada para evitar a propagação da doença e rapta Francesca, poupando no imediato a vidas dos homens que também leva como prisioneiros. No castelo, Francesca é elegantemente vestida pelo consórcio ciumento de Prospero Juliana e assiste a comportamentos decadentes da nobreza em festa enquanto anseia pelo destino dos dois homens presos nas masmorras.

A Máscara da Morte Vermelha, ao contrário das primeiras adaptações de Poe por Corman que eram filmes de reduzido elenco e narrativa minimalista, é um filme ambicioso, tanto na dimensão do elenco como na complexidade da narrativa. Tirando o melhor proveito dos cenários que encontrou em Inglaterra, Corman constrói um filme de visual sumptuoso — com fotografia da responsabilidade do futuro realizador Nicholas Roeg — e tom operático — contando para tal com a colaboração da música composta por David Lee. As interpretações são expressivas, de recorte teatral, incluindo Vincent Price numa performance maior que a vida na caracterização de uma personagem maior que a vida, traiçoeira, condescendente e, em última instância, vítima da sua própria soberba e presunção.

A Máscara da Morte Vermelha troca os ambientes soturnos, mais apropriados dos filmes de terror tradicionais, por uma forma de terror interior e insidiosa que se esconde por trás dos rostos e comportamentos daquilo a que chamamos, por hábito, humanidade.

Review overview

Summary

A Máscara da Morte Vermelha troca os ambientes soturnos, mais apropriados dos filmes de terror tradicionais por uma forma de terror interior e insidiosa que se esconde por trás dos rostos e comportamentos daquilo a que chamamos, por hábito, humanidade.

Ratings in depth

  • Argumento
  • Interpretação
  • Produção
  • Realização
8 10 Very good

Comentários

Share, , Google Plus, Pinterest,