Share, , Google Plus, Pinterest,

Print

Posted in:

[KINO 2018] Dezassete

de Monja Mart

bom

Monja Art mostra-nos em Dezassete que a descoberta homossexual na adolescência não tem que ser um drama de cariz social, mas apenas isso mesmo, uma história de descobertas e desacertos.

 

Dezassete (Siebzehn, 2017) é a segunda longa-metragem para cinema da realizadora Monja Art, que parte de um argumento seu para nos contar uma história de adolescência, passada num liceu austríaco de província, num coming of age de descobertas amorosas e escolhas de orientação sexual.

É a história da jovem Paula (Elisabeth Wabitsch – possuidora de uma encantadora doçura), moça pacata e reservada, excelente estudante, que tem uma paixão secreta pela colega Charlotte (Anaelle Dézsy), a qual namora um rapaz de fora da escola. Por entre encontros e desencontros e peripécias várias entre todo o grupo de estudantes, Paula vai tentar uma tímida aproximação que, sem ela perceber é desejada também do outro lado, mas nunca parece poder consumar-se.

O trunfo do filme de Monja Art está em mostrar-nos a história de descoberta amorosa como isso mesmo – uma descoberta, de tentativas, erros e muitos passos em falso –, sem necessitar de a tornar um drama social. Do mesmo modo, filma os estudantes com a naturalidade e boa disposição de uma existência que mistura explosões hormonais e alegria de arriscar com interesses fúteis e sentimentos de frustração, sem cair no exagero de acrescentar eventos dramáticos supérfluos, pois a adolescência e os seus paradoxos são já dramas por si só.

Com sobriedade, uma montagem escorreita e o pequeno artifício narrativo que é dar-nos a antever alguns dos desejos dos personagens, encenados para nós em breves vislumbres (afinal a imaginação é sempre mais poética que a realidade), Dezassete é um retrato simples, mas elegante, de uma época da vida, de sonhos e anseios inocentes, e de como é crescer longe da grande cidade.

Review overview

Summary

Crónica de adolescência num liceu austríaco de província, Dezassete não cai no erro de dramatizar em excesso um coming of age ou tornar a sua vertente homossexual numa questão social, centrando-se nos adolescentes, como são, cheios de anseios, erros e paradoxos.

Ratings in depth

  • Argumento
  • Interpretação
  • Produção
  • Realização
3 10 bom

Comentários

Share, , Google Plus, Pinterest,