Julho 2018

Monthly Archives

  • Posted in:

    As Guardiãs

    Inspirado no livro homónimo de Ernest Pérochon, “Les gardiennes” (As Guardiãs) começa de forma silenciosa, pronto a provocar um enorme impacto e a deixar-nos perante o lado sombrio dos conflitos bélicos, com a câmara a deslizar suavemente e a exibir uma série de corpos de soldados que pereceram num dos palcos da I Guerra Mundial. […]

    Read more

  • Posted in:

    Columbus

    Primeira longa-metragem realizada por Kogonada, “Columbus” é um exemplo paradigmático de uma obra em que o estilo contribui para elevar a substância. Os seus planos, muitas das vezes fixos e de longa duração, são elaborados de forma precisa e delicada, os quadros no interior dos quadros são exemplarmente arquitectados e utilizados, a arquitectura da cidade […]

    Read more

  • Posted in:

    Nico, 1988

    Em diversas ocasiões de “Nico, 1988” é possível observarmos a personagem do título a tragar cigarros, inclusive durante a preparação ou a realização de concertos. É algo que adensa o mistério em volta desta figura, bem como a sua apetência pelos prazeres efémeros ao mesmo tempo que realça a fugacidade da vida e exacerba uma […]

    Read more

  • Segundo Take - podcast de António Araújo

    Posted in:

    Episódio #141 – Raw (2016) / Uma Rapariga Regressa de Noite Sozinha a Casa (2014) – Novos nomes do terror

    Está disponível o episódio #141 do podcast Segundo Take. Podem ouvi-lo na barra lateral deste artigo, em www.take.com.pt, subscrever no iTunes ou no leitor no final deste texto. Neste episódio conhecemos mais dois novos nomes do terror, desta vez duas autoras com as suas respectivas obras de estreia: Julia Ducournau, com Raw, de 2016, e Ana Lily Amirpour, com Uma […]

    Read more

  • Posted in:

    Godard, O Temível

    “Le Redoutable” (Godard, O Temível) apresenta Jean-Luc Godard (Louis Garrel) como um destruidor que aniquila o seu cinema e as suas relações, que é extremamente contraditório, idealista, egocêntrico, arrogante, criativo, inseguro, instável e incapaz de proteger a integridade dos seus óculos. Louis Garrel transmite com competência estas características do personagem, enquanto vagueia pelas margens da […]

    Read more

  • Posted in:

    Esplendor

    Profundamente romântico, cândido e terno, “Hikari” (Esplendor) surge como um raio de sol que ilumina a alma e aquece o coração. No seu centro estão dois personagens sensíveis, solitários, pouco faladores, dotados de espessura e capazes de despertarem empatia. Esses personagens são Misako Ozaki (Ayame Misaki) e Masaya Nakamori (Masatoshi Nagase). Ela escreve os textos […]

    Read more