• Segundo Take - podcast de António Araújo

    Posted in:

    Episódio #83 – Alien: Covenant (2017) / Prometheus (2012) – com José Carlos Maltez

    Está disponível o episódio #83 do podcast Segundo Take. Podem ouvi-lo na barra lateral deste artigo, em www.take.com.pt, subscrever no iTunes ou no leitor no final deste texto. Neste episódio recebo novamente José Carlos Maltez, d’A Janela Encantada, para falarmos do último filme de Ridley Scott, Alien: Covenant, sequela de Prometheus, e o mais recente capítulo da saga Alien […]

    Read more

  • Posted in:

    [Segunda dose] Hannibal (2001)

    E se certos filmes nunca tivessem continuação? Algumas sequelas enriquecem o original e transformam um filme isolado no primeiro capítulo de uma saga popular. Outros, não só matam qualquer hipótese de uma franchise de sucesso como, inclusivamente, diminuem os originais. Mas será que merecem a fama que ganham? Proponho a análise a alguns destes casos, […]

    Read more

  • Posted in:

    Os Olhos da Minha Mãe

    Nicolas Pesce estreia-se na realização com um filme de terror independente sob o signo do coletivo Borderline.   Josh Mond, Sean Durkin e Antonio Campos são três cineastas que se conheceram na Escola de Artes Tisch, da Universidade de Nova Iorque, e decidiram criar uma companhia produtora para fomentar os seus próprios projetos. Assim nasceu […]

    Read more

  • Posted in:

    Episódio #65 – O Exército das Trevas / Ash vs. Evil Dead (Especial Evil Dead, Parte 2)

    Está disponível o episódio #65 do podcast Segundo Take. Podem ouvi-lo na barra lateral deste artigo, em www.take.com.pt, subscrever no iTunes ou no leitor no final deste texto. Neste episódio concluo o Especial Evil Dead com a análise do terceiro capítulo da saga, O Exército das Trevas, de 1992, e da série televisiva que continua as aventuras do herói […]

    Read more

  • Posted in:

    [Segunda dose] A Morte Chega de Madrugada (Evil Dead II) (1987)

    E se certos filmes nunca tivessem continuação? Algumas sequelas enriquecem o original e transformam um filme isolado no primeiro capítulo de uma saga popular. Outros, não só matam qualquer hipótese de uma franchise de sucesso como, inclusivamente, diminuem os originais. Mas será que merecem a fama que ganham? Proponho a análise a alguns destes casos, […]

    Read more