Share, , Google Plus, Pinterest,

Print

Posted in:

Os anos tardios

Depois de um período de enorme sucesso na sua carreira e a nível pessoal, com a estabilidade da sua relação vivida maioritariamente na pacata e tranquila ilha de Fårö, a vida de Bergman viria a ser atingida em 1976 por um escândalo de evasão fiscal que faria abanar de forma considerável a sua estabilidade. Apesar de mais tarde se virem a revelar infundadas, as suspeitas de fuga aos impostos que pairaram sobre o realizador fizeram com que este abandonasse o seu país natal e se mudasse para a Alemanha. A partir daí, a sua produção cinematográfica tornar-se-ia escassa, e O Ovo da Serpente (1977), nova aventura em língua inglesa (e alemã), foi já produzido em terras germanicas, juntou à sua habitual Liv Ullmann o americano David Carradine num bizarro thriller que, apesar de ter ficado aquém em termos de crítica e de bilheteira, tem méritos suficientes para merecer uma reapreciação – e a história de desconfiança e paranóia (que no filme simboliza a ascenção do nazismo) estava certamente ligada ao sentimento do realizador para com os problemas legais que enfrentava na Suécia.

 

Tal como havia feito após a sua primeira experiência em língua inglesa com O Amante, Bergman recuperou do fracasso de O Ovo da Serpente com outro título tipicamente bergmaniano. Sonata de Outono, de 1978, juntou pela primeira vez (…)


in Take 44 – Leia aqui o artigo completo
 | Faça download da revista clicando aqui

Share, , Google Plus, Pinterest,

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *