Share, , Google Plus, Pinterest,

Print

Posted in:

O Nome do Medo

de Stacy Title

mediano

Ainda precisamos de mais filmes de adolescentes em casas assombradas por um misterioso assassino sobrenatural? O Nome do Medo (2017) parece responder que sim.

 

Vivemos uma época em que o cinema de terror parece uma indústria de pastilha-elástica. As ideias repetem-se, as histórias são as mesmas, a originalidade de formas não abunda, e o importante é ter produtos novos para um público que já esqueceu o produto anterior, mesmo que exactamente igual. Fala-se, no entanto, numa renovação do género, graças a alguns filmes bem conseguidos, como O Senhor Babadook (2014), de Jennifer Kent, Vai Seguir-te (2014) de David Robert Mitchell, e Oculus: O Espelho do Demónio (2013), de Mike Flanagan.

Não espanta, por isso, que o nome do produtor de Oculus, seja repetidamente referido quando se fala deste O Nome do Medo, realizado por Stacy Title, a partir do livro «The Bridge to Body Island» de Robert Damon Schneck.

Começando pelos clichés, temos o elenco de jovens destinados a morrer (Douglas Smith, Lucien Laviscount, Cressida Bonas e Jenna Kanell), uma maldição inescrutável, uma casa antiga com mais portas e janelas que é possível enumerar, uma cave fantasmagórica, e uma seance a dar o pontapé de saída ao terror, já que uma das protagonistas é, convenientemente, médium.

Felizmente, O Nome do Medo evita os banais jump scares, preferindo buscar inspiração no terreno de Oculus, isto é, na paranóia de não conseguirmos distinguir realidade de alucinação, afinal o que aquele filme tinha de melhor, fazendo com que a nossa percepção fosse espelho (passe o trocadilho) da dos protagonistas. Quando isso acontece em O Nome do Medo, o filme ganha interesse, mas infelizmente tal não é sempre consistente, com a atracção do gore e do monstro a obrigarem à banalização do argumento e a soluções narrativas desconjuntadas.

Quem gosta de uma história de assombração pode encontrar aqui algum interesse, já que o ritmo é bem conseguido, ampliado pela tal paranóia que lança a incerteza sobre o desfecho. Mas mesmo esses preferirão os filmes atrás mencionados.

Resumo da crítica

Summary

O Nome do Medo é mais uma história de adolescentes assombrados, onde o mais banal do género do terror actual se mescla com a paranóia das alucinações de Oculus, um filme com o qual partilha o produtor.

Classificação

  • Argumento
  • Interpretação
  • Produção
  • Realização
2.5 10 mediano

Comentários

Share, , Google Plus, Pinterest,

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *