Share, , Google Plus, Pinterest,

Print

Posted in:

[MOTELx 2016] Southbound

de Tyler Gillett, Matt Bettinelli-Olpin, Chad Villella, Roxanne Benjamin, David Bruckner e Patrick Horvath

muito bom

Realizado por um colectivo de autores, entre os quais o Radio Silence, famoso pelo sucesso V/H/S (2012), Southbound (2015) é uma antologia de cinco histórias, que se interligam na vastidão dos caminhos desertos do sul dos Estados Unidos, onde isolamento é sinónimo de desespero, fuga e horror, numa atmosfera evocativa da irrealidade de The Twilight Zone.

 

O cinema de terror foi sempre um campo propício para antologias de curtas histórias interligadas, tendo havido mesmo realizadores e produtoras (por exemplo a britânica Amicus) que se especializaram em tal. Por um estas permitam produções mais modestas (tantas vezes série B ou Z) sem meios para filmes de longa duração, por outro permitem ainda a opção por formato que resulta melhor para contos que, quando estendidos para os vulgares 90 a 120 minutos, se tornam aborrecidas histórias.

Foi o que se fez com Southbound, um filme colectivo, que é uma colecção de cinco histórias diferentes, filmadas por pessoas diferentes, mas partilhando um espaço físico (o deserto californiano), uma estética própria e permitindo pontos de contacto entre elas que, se não são fundamentais nas diferentes narrativas, conferem uma maior unidade ao todo.

O ponto comum é a estrada, no quase deserto do sul dos Estados Unidos, onde só parece existir desolação, caminhos infindáveis e um grande risco de qualquer pessoa se perder. É esse o mote, a viagem ou fuga rumo a uma qualquer perdição que testemunhamos logo na primeira história, em que um duo ensanguentado (Chad Villella e Matt Bettinelli-Olpin) foge de espectros fantasmagóricos, para se ver «preso» numa estação de serviço da qual não parece conseguir fugir. Desse lugar vemos depois sair, para a segunda história, três raparigas (Fabianne Therese, Hannah Marks e Nathalie Love), elementos de uma banda jazz, que têm um furo, sendo recolhidas por casal que, embora aparentemente amigável, vai revelar querê-las para um fim no mínimo diabólico. A fuga de uma delas leva a um atropelamento, e começa a terceira história, onde o condutor (Mather Zickel) tem de a salvar, seguindo para um hospital isolado, sob os conselhos de vozes ao telefone, que talvez não sejam propriamente uma ajuda. Ao desligar-se o telefone, a quarta história começa na voz que estava numa cabina (Maria Olsen), habitante de uma comunidade misteriosa, devassada por um homem (David Yow) que vem armado em busca da sua irmã que ele julga raptada (Tipper Newton), para descobrir que ela está de livre vontade num lugar onde os habitantes são de facto demónios. Ao regressar, ela é vista por uma rapariga (Hassie Harrison), albergada num motel com os pais (Kate Beahan e Gerald Downey), protagonistas da quinta história, onde três mascarados surgem para os matar.

As histórias têm em comum o tema da viagem, seja ela turística, profissional, de fuga ou busca, resultando em ciclos fechados, quer espaciais, quer temporais, com o final do filme a tocar o início, e onde elementos de natureza sobrenatural trazem morte e horror. Por entre desolação, desespero e esse tema comum de chegar a algum lugar diferente, no que parece sempre uma fuga, as cinco histórias são cheias de tensão, deixando-nos com a sensação que nem um segundo ou plano é alguma vez perdido.

Escapando aos clichés do terror comercial, Southbound consegue, nessa concisão narrativa e liberdade temática, surpreender-nos e deixar-nos levar numa verdadeira viagem emocional e irreal, lembrando um pouco o território da saudosa The Twilight Zone, onde nada é o que parece, e qualquer lógica será certamente desafiada.

Resumo da crítica

Summary

Conjunto de cinco histórias que se tocam e interligam, Southbound liberta-se dos lugares comuns do terror, conseguindo surpreender-nos pela sua concisão narrativa e frescura de ideias, num desafio irreal que o torna uma espécie de The Twilight Zone do terror.

Classificação

  • Argumento
  • Interpretação
  • Produção
  • Realização
4 10 muito bom

Share, , Google Plus, Pinterest,

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *