Share, , Google Plus, Pinterest,

Print

Posted in:

O Inimigo da Turma

de Rok Biček

bom

Quando um novo, e autoritário, professor de alemão chega a um liceu esloveno, os seus métodos agressivos vão coincidir com uma tragédia. Tal é pretexto para O Inimigo da Turma (2013) explorar as tensas relações entre alunos e docentes, pondo em causa todo o sistema de ensino moderno.

 

O sistema educativo e as tensões entre professores e estudantes são, de há muito, um terreno fértil para o cinema. Baseando-se num caso real, Rok Biček procurou trazer uma visão original ao tema, na sua primeira longa-metragem, a história de uma turma de um liceu esloveno, a braços com a chegada de um novo e muito austero professor de alemão (Igor Samobor).

Começando com uma forte dicotomia de preto e branco, no contraste entre a amável professora efectiva (Estera Dvornik) e o seu, pouco menos que cruel, substituto (Samobor), O Inimigo da Turma, centra-se no caso de um suicídio, como catalisador para confrontos e intolerâncias que opõem a turma, primeiro ao dito professor, e depois a toda a escola. Em causa fica o sistema de ensino, a sua tendência para formatar de modo automático, crendo numa educação que privilegia resultados em detrimento da expressão individual.

Fortemente liderado pelo elenco de adolescentes (Voranc Boh, Jan Zupancic, Dasa Cupevski, Doroteja Nadrah, entre outros), O Inimigo da Turma tem como triunfos uma grande espontaneidade, a interpretação tão fascinante quanto gélida de Igor Samobor, e a teia de tons cinzentos que aos poucos se vai gerando, quando nos é dado a perceber que as culpas, a existir estão sempre repartidas.

Pelo lado negativo pode apontar-se um certo facilitismo que, apesar de nos dar personagens realistas e interessantes, não os consegue retirar de caminhos já percorridos, forçando situações inverosímeis (o suicídio, a revolta) para criar emoção. Fica, no final, a ideia de que o importante era contar uma história com princípio, meio e fim, e não tanto trazer-nos um cenário que nos provocasse pelo seu realismo. Nesse aspecto, e apesar da seriedade e acutilância com que trata o seu tema, Rok Biček trai um pouco aqueles que afiança como mentores: Cristian Mungiu, Andrey Zvyagintsev e Michael Haneke.

O Inimigo da Turma venceu o Prémio FEDEORA como Melhor Filme na Semana Internacional da Crítica do Festival de Veneza, tendo sido nomeado para outros prémios em festivais internacionais.

Resumo da crítica

Summary

De pretensões realistas, lidando com um tema importante, O Inimigo da Turma junta o melhor (a interpretação de Igor Samobor, e os tons de cinzento) ao pior (o facilitismo emocional de situações menos verosímeis).

Classificação

  • Argumento
  • Interpretação
  • Produção
  • Realização
3 10 bom

Share, , Google Plus, Pinterest,

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *