Share, , Google Plus, Pinterest,

Print

Posted in:

[Especial Underworld] Underworld: Guerras de Sangue (2016)

de Anna Foerster

mau

Quatro anos depois, surge o novo tomo da saga de Selene a vampira interpretada por Kate Beckinsale, que dá rosto ao universo criado por Len Wiseman, que cruza o gótico vampiresco com a estética de Matrix.

 

Depois do decepcionante Underworld: O Despertar (2012), foi agora a vez de Anna Foerster, uma realizadora com experiência quase exclusiva de televisão (por exemplo na série Outlander), tentar revitalizar o franchise Underworld, com Underworld: Guerras de Sangue, um filme que pega na narrativa onde o anterior o tinha deixado…

… Ou nem tanto, pois se Underworld: O Despertar falava de um extermínio dos seres sobrenaturais às mãos de humanos resolutos, num cenário quase apocalíptico (num tipo de guerra que lembrava por um lado X-Men, por outro Resident Evil), o novo filme foge dessa realidade, numa fuga do continente americano, para uma Europa aristocrática onde podemos voltar ao universo dos castelos ancestrais, golpes palacianos e conspirações secretas que deixam sempre Selene só contra o mundo. Agora decidida a esquecer a filha, para que ninguém a possa encontrar, Selene acaba por recuperar a amizade de David (Theo James) e do pai deste, Thomas (Charles Dance), para entrar num novo clã, manobrado pela sinistra Semira (Lara Pulver), para os ajudar contra o super-lycan Marius (Tobias Menzies, também o vilão de Anna Foerster em Outlander).

Tentando recuperar a mística do primeiro filme da série, Underworld: Guerras de Sangue volta a ser palco de intriga, segredos de ascendência e golpes de poder, trazendo-nos até um místico clã nórdico de vampiros louros, numa história que se quer elaborada. Só que, mais uma vez, é o afã da acção, o delírio do CGI e a adrenalina do desperdício de balas que domina a maior parte do filme, banalizando-o num momento em que a própria Kate Beckinsale já não passa de um cliché do seu próprio personagem.

Ainda assim, Underworld: Guerras de Sangue é uma pequena melhoria sobre o seu pobre antecessor, voltando a lançar o mistério para o que seguramente será o sexto capítulo.

Resumo da crítica

Summary

Ligeiramente melhor que o decepcionante quarto capítulo, Underworld: Guerras de Sangue tenta recuperar a mística dos golpes palacianos e guerras de vampiros aristocráticos, para se deixar cair em insípidas batalhas de tiroteios infindáveis.

Classificação

  • Argumento
  • Interpretação
  • Produção
  • Realização
2 10 mau

Share, , Google Plus, Pinterest,

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *