Share, , Google Plus, Pinterest,

Print

Posted in:

Angry Birds – O Filme

de Clay Kaytis & Fergal Reilly

mau

Cada vez mais as adaptações de jogos rapidamente passam ao cinema. Angry Birds – O Filme nasce depois do grande sucesso e expansão do jogo com o mesmo nome, desde 2009, quando foi lançado pela primeira vez na Apple’s App Store. Desde então o mundo inteiro sabe que estes pássaros mantém uma certa rivalidade com porcos verdes, mas não sabíamos ainda o porquê dessa rivalidade. E é isso mesmo que nos é contado aqui.

 

Algures numa pequena ilha paradisíaca, vive um enorme bando de pássaros com a estranha particularidade de não saber voar. Estranhamente um deles, Red (Jason Sudeikis), vive constantemente amargurado e cheio de raiva. Ao ter um ataque de raiva perante uns clientes da empresa para a qual trabalhava, Red é obrigado a ir a tribunal, e como consequência dos seus actos, terá de frequentar aulas de auto controlo, onde conhece Chuck (Josh Gad) e Bomb (Danny McBride). Quando um grupo de porcos chega inesperadamente à ilha, liderados por um tal de Porco Rei (Bill Hader), as suas atitudes intrigam Red, que em conjunto com os seus novos amigos, investigará as suas verdadeiras intenções que estão longe de ser simpáticas.

 

Tendo em conta os padrões do jogo, não era de todo esperado um conceito muito complexo ou trabalhado. Em termos visuais, a animação está bem conseguida, mas nunca poderia pedir muito sobre aspectos mais profundos sobre as personalidades destes personagens, cujo o único propósito é voar com a ajuda de fisgas gigantes acabando por esmagar porcos verdes com caras meio tresloucadas. Com falta de originalidade, andamos constantemente em torno dos mesmos temas, onde só alguns breves momentos (e até algumas engraçadas referencias cinematográficas) merecem realmente destaque. O casting de vozes agrada, e não posso dizer que passei um mau bocado, mas não acrescentou nada de significante e passaria bem sem um filme sobre isto.

 

Angry Birds – O Filme irá certamente alegrar a pequenada, quanto aos mais velhos não estarei tão certa. A estranha essência do jogo, que por mais estúpido que seja nos faz ou já fez alguma vez ter vontade de o jogar, está distante disto. É mais uma tentativa de ganhar dinheiro com sucessos de outras áreas, que por norma não costuma dar bom resultado.

Resumo da crítica

Summary

Com falta de originalidade, andamos constantemente em torno dos mesmos temas, onde só alguns breves momentos merecem realmente destaque.

Classificação

  • Argumento
  • Interpretação
  • Produção
  • Realização
2 10 mau

Comentários

Share, , Google Plus, Pinterest,

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *