Share, , Google Plus, Pinterest,

Print

Posted in:

[17ª Festa do Cinema Francês] L’Effet Aquatique

de Sólveig Anspach

mediano

Produção franco-islandesa, L’Effet Aquatique (2016), é uma comédia ligeira escrita e realizada pela islandesa Sólveig Anspach, com assistência do francês Jean-Luc Gaget, ambos já detentores de uma longa carreira, quer em cinema quer em televisão.

 

Num espírito cosmopolita, como o requerido para se obter financiamentos institucionais, L’Effet Aquatique é rodado entre a França e a Islândia, com equipas e actores de ambos os países, a que o protagonista Samir Guesmi empresta um lado ainda mais multicultural, representando os imigrantes do Norte de África, aqui perfeitamente integrado, e falando várias línguas, pois o filme é uma simples comédia, sem pretensões de fazer comentário social.

O que temos então é a história de Samir (Samir Guesmi), um operador de gruas, que, sem razão aparente, se apaixona instantaneamente por Agathe (Florence Loiret Caille), uma professora de natação. Decide por isso conquistá-la inscrevendo-se nas suas aulas, fingindo não saber nadar. Quando parecia começar a ganhar-lhe a atenção, Samir é descoberto, ao mesmo tempo que Agathe viaja para a Islândia para representar a piscina num congresso. Claro que Samir viaja também, e envolve-se numa série de peripécias que o fazem passar por representante de Israel, e por fim perder a memória num acidente.

O que começara como uma comédia discreta, que partia de desadequações e atitudes desconcertantes dos protagonistas, para nos desafiar a adivinhar um rumo, cedo se torna demasiado caricatural, quer, por um lado, nas atitudes do staff da piscina (Philippe Rebbot, Estéban e Olivia Côte), quer depois nas atitudes de Samir na Islândia. Não escapam os estereótipos nacionais primários (com os islandeses a serem representados por Didda Jónsdóttir e Frosti Runólfsson), incluindo-se uma arrogante a atrevida portuguesa (Johanna Nizard) como desadequada oponente da história de amor.

O que fica é uma espécie de comédia romântica que brinca com as citadas caricaturizações, tentando viver do carisma dos dois protagonistas, afinal o aspecto mais positivo de todo o filme, resultando numa comédia simples, sem genialidade nem grandes desapontamentos.

Resumo da crítica

Summary

Comédia ligeira com tons caricaturais que vive do carisma dos protagonistas numa história simples, divertida q.b., mas sem rasgos de inspiração.

Classificação

  • Argumento
  • Interpretação
  • Produção
  • Realização
2.5 10 mediano

Share, , Google Plus, Pinterest,

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *