Share, , Google Plus, Pinterest,

Print

Posted in:

[17ª Festa do Cinema Francês] La Belle Saison

de Catherine Corsini

muito bom

Nona longa-metragem de Catherine Corsini, La Belle Saison (2015) talvez recorde o recente A Vida de Adèle (2013), mas apesar de alguns temas comuns, distingue-se pela descrição de uma época em que o assumir do papel da mulher estava dificultado em mais aspectos que o puramente sexual.

 

É difícil falar de La Belle Saison (2015) sem nos lembramos de A Vida de Adèle (2013) de Abdellatif Kechiche. Assim sendo, não o evitemos, e comecemos por aí. La Belle Saison é um melodrama, incidindo numa relação homossexual entre duas mulheres, narrada de modo intenso, e não se coibindo de mostrar muita nudez. Mas restringir uma crítica a uma comparação dessas seria (retirando o elemento homossexual) dizer que todas as histórias românticas são iguais. O que distingue então esta nona longa-metragem de Catherine Corsini.

La Belle Saison, cujo título aponta para uma época especial na vida das protagonistas, Delphine (Izïa Higelin) e Carole (Cécile De France), leva-nos para o princípio dos anos 70, num momento em que, em Paris, ganha forma o movimento libertário feminista, no qual ambas se conhecem. A primeira é uma rapariga do campo, habituada a trabalhar na terra, na região de Limousin, e que cedo percebeu o seu interesse em raparigas, não dando aos pais a alegria de a verem casar com algum bom partido da região. A segunda é uma professora e activista da cidade, que até aí nunca viu interesse no sexo feminino.

Há aqui quase que uma deliciosa perversão, com a politicamente ingénua Delphine a mostrar experiente à feminista Carole o que é o sexo no feminino. A descoberta torna-se então o catalisador, numa coming-of-age que é, principalmente, um despertar sexual, numa época (e principalmente numa sociedade – a rural) de repressões.

É que o regresso forçado de Delphine ao campo vai expô-la à censura dos outros, e colocá-la em cheque perante as decisões a tomar, e o que quer afinal para a sua vida. Lidamos esse conflito entre a necessidade de abraçar a ruptura, ou o fingir de que está tudo bem, acreditando cobardemente de que a solução um dia chegue ou que os problemas desaparecerão.

É nesse conflito, interpretado com paixão pelas duas protagonistas, que reside a universalidade do filme. Filmando entre Paris a paisagem rural de Limousin, Catherine Corsini traz-nos, a ritmo pausado, numa fotografia luminosa, as contradições entre cidade e campo, progressismo e tradição, entre visões diferentes do papel da mulher e da sua sexualidade, na França de Pompidou. La Belle Saison é, acima de tudo, uma história de pessoas, suas fraquezas, escolhas e erros, enquanto se procuram descobrir e lutam por um lugar no mundo.

 

Resumo da crítica

Summary

Melodrama romântico, na história de libertação sexual na França dos anos 70, envolvendo a relação de duas mulheres, num conto seguro e emotivamente interpretado de Catherine Corsini.

Classificação

  • Argumento
  • Interpretação
  • Produção
  • Realização
3.75 10 muito bom

Share, , Google Plus, Pinterest,

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *